NAVIO DE SOCORRO

Descrição: Navio especialmente projetado para operações de salvamento de submarinos que sofrerem acidentes durante as operações e ficarem impossibilitados de retornar à superfície.

Histórico

Desde primeiro de setembro de 1955, a Corveta Imperial Marinheiro foi subordinada à Flotilha de Submarinos, servindo como navio de Socorro e Salvamento de submarinos, muito embora sem ter sido projetada exclusivamente para tal finalidade. Por 14 anos assim permaneceu, quando, em 1969, passou à subordinação do Primeiro Distrito Naval, tendo em vista o reconhecimento de que pouco, ou mesmo nenhum auxílio, poderia prestar em caso de submarino sinistrado, por absoluta falta de recursos adequados.

Em sua substituição, foi incorporado à Armada Brasileira, em 30 de junho de 1973, o navio GASTÃO MOUTINHO, cedido pela Marinha dos EUA, que se tornou o navio de Socorro e Salvamento de submarinos, agora sim, apropriado para as fainas de socorro e salvamento de submarinos sinistrados.

Este navio contava com o sino de salvamento (câmara especial que podia ser baixada até o submarino sinistrado, nele se acoplando e permitindo a retirada do seu pessoal), com equipamentos e pessoal qualificado em mergulho a ar comprimido e a mistura hélio-oxigênio, esta última, técnica que permitia os mergulhadores descerem a maiores profundidades.

K11_BB.jpg (16304 bytes) O Gastão Moutinho permaneceu neste serviço de apoio aos submarinos até ser substituído, em 1984, pelo FELINTO PERRY, moderno navio especialmente projetado para socorro e salvamento de submarinos acidentados, tendo sido adquirido já pronto pela Marinha do Brasil(MB).

Ao lado foto do K11, FELINTO PERRY, atracado ao cais da Base Almirante Castro e Silva.

Igualmente que o Gastão Moutinho, o Felinto Perry conta também com sino para salvamento de pessoal em submarinos afundados (Sino Atmosférico de Resgate - SAR), no caso  de acidente em que este não possa retornar à superfície, com muito maior capacidade de recuperação que o sino anterior, podendo baixar à profundidade de 300 metros. sinPery.JPG (13753 bytes)

[Volta ao Início]