NAVIO DE SOCORRO GASTÃO MOUTINHO


Navio de socorro de submarinos (ex U.S.S. SKYLARK ASR20   da classe PENGUIN, construído nos Estaleiros Ship Building and Drydock Co., Charleston, South Carolina, USA, cuja quilha foi batida em julho de 1945; lançado ao mar em 19 de março de 1946 e transferido para a Esquadra de Reserva. Foi incorporado à Marinha dos Estados Unidos da América em 01 de março de 1951).

Dentre as várias missões desempenhadas pelo SKYLARK, recorda-se a de ter servido de unidade de apoio ao submarino nuclear THRESHER em prova secreta de imersão para teste de limite de resistência do casco. Durante a operação, no dia 10 de abril de 1963, o submarino desapareceu em águas profundas (2.500m) ao largo de Portsmouth, com perda total da tripulação de 112 tripulantes e 17 técnicos que acompanhavam o teste. (RMB, jul/set/1963, nº 7,8 e 9, pp.139/152)

O navio foi incorporado à Marinha do Brasil pelo Aviso Ministerial nº 584 de 27 de junho de 1973 e submetido à Mostra de Armamento em 30 de junho de 1973 realizada na Base de Submarinos de New London, Connecticut, USA, com o nome de NSS Gastão Moutinho, indicativo visual K10.


Construído em aço com 98 cavernas, possuía as seguintes características: 1.735t de deslocamento a plena carga; 1.559t de deslocamento leve; 63m de comprimento total; 58m de comprimento entre perpendiculares; 12,2m de boca; 5,18m de calado a plena carga à ré; 4,57m de calado a plena carga à vante; 5,97m de calado a meia nau, considerando o domo sonar.

Era equipado com propulsão Diesel-Elétrica, constituída por quatro motores Diesel (MCPs) General Motors, modelo 12-278A, 12 cilindros em "V", dois tempos, 3.500HP de potência total no eixo; quatro geradores (GEPs) Allis Chalmers, 620KW de potência, 550 volts, 1.127 amperes, 750 RPM, tipo Shunt; quatro motores Allis Chalmers (MEPs), 550 volts, 3.060HP de potência total, ligação motor-eixo indireta, caixa de redução Farrel Birmigham, que acionavam um hélice de quatro pás; 15 nós de velocidade máxima; 14,5 nós de velocidade máxima mantida; 10 nós de velocidade econômica; 8.762 milhas de raio de ação em velocidade máxima mantida; 15.000 milhas de raio de ação em velocidade econômica.

Armado com duas metralhadoras Oerlinkon, 20mm, 72 calibres, Mk10.

Para fornecimento de energia elétrica e outros serviços dispunha de um gerador auxiliar Allis Chalmers, auto excitado, 120/240 v, 200KW, 900RPM, acionado por motor Diesel General Motors, modelo 8-268A, oito cilindros em linha, 900RPM; dois geradores auxiliares Allis Chalmers, auto-excitado, 120/240v, 100KW, 1.200RPM, acionados por motor Diesel General Motors modelo 3-268A, dois ciclos, três cilindros em linha, 1.200RPM; uma caldeira auxiliar flamatubular American Radiator a óleo Diesel, 40psi.

Para navegação e comunicações dispunha de agulhas giroscópicas com repetidoras; um odômetro de fundo; um odômetro de superfície; um odômetro de superfície; sondadores mecânicos; radiogoniômetro; oscilador de teste para sonar OCP-4-7/70KHz; sonar AN/SQS-4 URC, além de transmissores, recptores e transceptores de rádio.

Para socorro submarino dispunha de um compressor de alta pressão Hardie Tines de 3.500 Lbs de pressão máxima, 3.000 Lbs de pressão de trabalho; dois compressores de média pressão Ingersol Hand, de  400 libras de pressão máxima; sino de salvamento fabricado na Base Almirante Castro e Silva (BACS), 57m de limite de profundidade utilizando equipamento KMB, 88.12 lbs de limite de pressão; sino aberto para mergulho fabricado na Base Almirante Castro e Silva (BACS), 57m de profundidade máxima, 88.12lbs de limite de pressão; câmara de recompressão com ante-câmara e câmara; mergulho a ar e mistura He-02 utilizando mangueiras de adaptação para submarinos para ar de lastro e sobrevivência; aparelhos para mergulho autônomo, lungs duplos e singelos de 3.000 lbs; equipamento leve com uso de máscaras KMB e disco para mergulho a ar; equipamento advanced para mergulho a ar e He 02; equipamento pesado para mergulho a ar com capacete MK5, mod I; bomba de transferência de gás aminco. 10 CFM, tipo diafragma, 2HP, 1.750 RPM, 115 VDC; equipamento de comunicações Divex para mergulho dependente, dois canais com três estações; capacidade de armazenamento de780m3 de gás He e de 343m3 de mistura.

Para manobras e fundeamento era equipado com duas âncoras Patent, 3.000Lbs; quatro âncoras Danfort para salvamento; duas âncoras à vante; quatro amarras à ré; quatro paus de carga com capacidades máximas de 10t, 3t, 1t e 5t, respectivamente; três cabrestantes, 20.000Lbs-35 pés/minuto; máquina de suspender com capacidade máxima de 3.000lbs; espias para fundeio a quatro pontos; boias para fundeio a quatro pontos, 2.500lbs de peso e 5.000lbs de flutuabilidade positiva.

A guarnição: 7 oficiais e 71 praças.

Para salvamento e serviços dispunha de uma lancha de 26 pés, motor Diesel, 25HP com capacidade para 25 homens; 1 baleeira de 26 pés, motor Diesel, 25HP com capacidade para 25 homens; 8 balsas infláveis com capacidade para 15 homens.

Equipado com enfermaria, mas para pequenas cirurgias era utilizada a coberta do rancho. Possuia oficina de metalurgia; três câmaras frigoríficas; quatro aparelhos de ar condicionado de pequeno porte.


Durante o período em que esteve incorporado à Marinha do Brasil, o GASTÃO MOUTINHO navegou 175.822 milhas fez 1.626 dias de mar e participou de inúmeras operações. Como Navio de Salvamento de Submarinos, realizou na Esquadra diversas missões de apoio, exercícios de salvamento e mergulhos a hélio-oxigênio, reboque de alvos, busca e reboque de bóias à deriva, exercícios de recolhimento de minas por mergulhadores, e pesquisas arqueológicas.

O navio foi reclassificado como Navio Auxiliar em 1989 (U20) e transferido para a subordinação do 2º Distrito Naval, onde realizou operações de patrulha costeira, polícia naval e reabastecimento do Radiofarol de Abrolhos dentre outras missões.

Pela Portaria Ministerial nº 0267 de 25 de julho de 1996, foi determinada a baixa do U20 GASTÃO MOUTINHO, com Mostra de Desarmamento no dia 18 de setembro de 1996.


Comandaram-no, como navio de salvamento de submarinos(NSS), os seguintes oficiais:

CC Emanoel Medrado Vaz Santos 30/jun/1973 a 30/out/1974   CC Celio Rocha Thomaz de Aquino 23/abr/1981 a 17/set/1982
CT Silvio Arthur Bastos Ribeiro 30/out/1974 a 26/dez/1974   CC Sylvio Arthur Bastos Ribeiro 17/set/1982 a 03/out/1983
CC Carlos Affonso Cerveira 26/dez/1974 a 16/fev/1976   CC Paulo de Almeida Padilha 03/out/1983 a 09/out/1984
CC Vicente de Albuquerque Filho 16/fev/1976 a 24/fev/1977   CC Oswaldo Ferreira de Prado Franco 09/out/1984 a 23/dez/1985
CC Sergio de Almeida Padilha 24.fev/1977 a 03/mar/1978   CC Renato de Almeida Padilha 23/dez/1985 a 29/dez/1986
CC Oscar Moreira da Silva 03/mar/1978 a 05/mar/1979   CC Anderson Alves 29/dez/1986 a 14/mar/1988
CC Marcio Moutella Assumpção Taveira 03/mar/1979 a 14/mar/1980   CC Luiz Augusto de Mello 14/mar/1988 a 29/mar/1989
CC Rubens Peach Bravo 14/mar/1989 a 23/abr/1981   CC Reginaldo Fernandes 29/mar/1989 a 10/abr/1990

[Volta]