OS SUBMARINOS DA CLASSE T

Aos 10 de março de 1937, cerca de três anos após a extinção da Flotilha de Submersíveis, foi assinado contrato para a aquisição de três submarinos junto aos estaleiros da firma Odero Terni Orlando, situado na localidade de Mugianno, La Spezia.

Estes submarinos contratados já tinham sido lançados ao mar, pois faziam parte de uma encomenda de doze da classe Perla para a marinha Italiana.

A comissão de recebimento instalou-se aos 14 de março de 1937, sendo comandada pelo CF AFFONSO CELSO DE OURO PRETO, seguido do CC ARMANDO PINTO DE LIMA e demais oficias. Com o falecimento do Comandante OURO PRETO, aos 27 de julho de 1937, foi nomeado para substituí-lo o CF FERNANDO COCHRANE.

Para servir de escolta aos submarinos, quando da sua vinda para o Brasil, o Lloyde Brasileiro cedeu o NM Mandú, pois na situação da sangrenta guerra civil na Espanha, cuja facção insurreta, a dos franquistas, contava com o apoio militar da Alemanha e da Itália,  nossos submarinos poderiam ser confundidos  pelas forças legais espanholas.

Aos 10 de outubro de 1937 foram entregues ao Governo Brasileiro os submarinos TUPI, TIMBIRA e TAMOIO, tendo sido recriada, na ocasião, a Flotilha de Submarinos, sob o comando do CF FERNANDO COCHRANE, e incorporados os seus navios à Armada Brasileira.

A Flotilha, composta dos três submarinos, chegou ao Rio de Janeiro aos 12 de março de 1938. Os navios atracaram na doca 11 de junho, e a Flotilha instalou-se na Patromoria, Ilha das Cobras. O tempo em que ela aí permaneceu, a doca 11 de junho  serviu de cáis de atracação para os classe T.

Durante a II GG a Flotilha de Submarinos, incorporada à Força Naval do Nordeste, baseada em Recife, participou ativamente do adestramento de escoltas a comboios, do adestramento de tática anti-submarino para unidades de superfície e aeronaves que, juntamente com a 4ª Esquadra Norte-Americana, operaram contra as as forças do eixo. O reconhecimento pela admirável atuação da Flotilha (S Tupi, S Tamoio, S Timbira eo SE Humaitá),  foi expresso pelo Comandante das Forças Navais do Atlântico Sul, Vice Almirante Jonas H. Ingram, em carta ao Ministro da Marinha.

Aos 26 de agosto de 1959 ocorreu a Mostra de Desarmamento dos submarinos classe T,no cáis da BACS, encerrando assim, o período de 22 anos de serviços prestados à Armada brasileira.


CARACTERÍSTICAS DOS CLASSE T

comprimento - 60 metros
boca - 6,5 metros
calado - 4,7 metros
deslocamento - 615/853 tons
velocidade máxima - 14/7,5 nós
raio de ação (superfície) - 2150 milhas a 8,5 nós
raio de ação (imersão) - 72 milhas a 4 nós
profundidade de teste - 80 metros
tripulação - 33 homens

[Volta]